Nós Construímos Joinville!

Formulário de busca

Notícias

Você está em: Página Inicial » Notícias » Espanha tornará obrigatório o uso de BIM em obras públicas ao final de 2018

04.04.2018

Espanha tornará obrigatório o uso de BIM em obras públicas ao final de 2018

Os projetos para a construção de edifícios públicos na Espanha terão que ser feitos com plataformas BIM de forma obrigatória ao final de 2018. O anúncio foi feito pela diretora geral de Produção e Engenharia da Ineco, Ana Rojo, durante o European BIM Summit, congresso internacional de caráter anual sobre Building Information Modelling (BIM),realizado no último mês de março, em Barcelona, na Espanha, com o objetivo de divulgação das boas práticas no uso de BIM, assim como o compartilhamento de metodologias e o alinhamento internacional para o uso desta tecnologia. O Ineco faz parte do grupo Europeu de Administrações Públicas e tem encomendada a elaboração do Manual de Práticas Comuns na implantação da metodologia BIM, sendo responsável, junto à comissão es.BIM, de colocar em prática esta metodologia em todos e cada um dos processos desenvolvidos pelo Ministério de Fomento espanhol.

Além do anúncio, entrou em vigor a nova lei espanhola de Contratos do Setor Público, a qual estabelece a possibilidade de exigir que os projetos apresentados aos concursos públicos sejam feitos com BIM ou uma metodologia similar. O processo de transformação para o método BIM começou e neste sentido o Parlamento Europeu, por meio da Norma 2014/24/UE já realizou esforços para recomendar sua utilização em todos os países membros da União Europeia e sua inclusão na normativa de contratação e licitação pública. Em encontro celebrado em outubro do ano passado, o próprio ministro de Fomento, Iñigo de la Serna - declarava que "é hora de que a Espanha se coloque à frente da implementação desta ferramenta e comece a aproveitar os benefícios e oportunidades que esta tecnologia fornece", e completava que "estamos diante de uma das iniciativas mais inovadoras no setor da construção e que mais terão impacto no futuro do setor da engenharia e da arquitetura".

Fonte: CBIC Hoje